domingo, 23 de Setembro de 2012

Noodles com Vegetais


                  Sendo que a cozinha é uma das minhas actividades preferidas, é natural que eu não me importe de lá passar horas sempre que posso e não hesite ante algumas daquelas tarefas que hoje em dia quase ninguém já faz, até porque não tem tempo para isso.
Claro que quando me gabam a paciência por eu fazer, por exemplo, aquelas massas* que toda a gente compra feitas, pão, folhadas, quebradas, etc., eu sei que se pode cozinhar muito bem e muito mais rapidamente do que eu faço e que usar uma massa comprada feita não é desmerecimento nenhum e, aliás, também o faço se o tempo escasseia.
Em geral no Verão e sempre que me falta o vagar (e, às vezes, a paciência) para os cozinhados longos, aprecio muito aquelas comidas que ficam prontas em minutos, que não têm por isso que ser fast-food, até porque podem depois ser bem saboreadas, se foram feitas de um modo correcto e ficaram apetecíveis.
Estão neste caso os noodles de massa orientais, de cozimento rápido (2-4 minutos)
e que acompanhados literalmente com tudo o que se quiser, vegetais, carne, peixe, marisco, permite essa cozinha fascinante e “instantânea” que é a cozinha de wok,  podendo-se fazê-la neste precioso utensílio ou, na sua falta, numa caçarola qualquer, desde que com fundo espesso.
Aqui deixo uma versão mais saudável, sem proteínas animais, que me agrada muito pela sua leveza, à noite; querendo enriquecê-la bastará adicionar, mesmo no fim (com os cogumelos), peito de frango ou de peru, ou um bife de vitela, em tirinhas finas.

Ingredientes:

Azeite
Cenouras
Cebola
Alhos
Sal e pimenta
Massa de malagueta (facultiva)
Couve coração (parte clara)
Cogumelos frescos, laminados
Courgette
Molho de soja
Coentros frescos
Massa “Noodles”( 1 noodle, 50g, por pessoa)

Preparação:

Apesar da rapidez com que se confecciona este prato, é fundamental que se respeitem os tempos de cocção dos diversos vegetais e que se tenham à mão todos os ingredientes preparados previamente,  sendo muitas vezes aqui que se tropeça e que se comprometem estes cozinhados feitos em lume muito forte e com pouca gordura e portanto pouco tolerantes a esperas ou erros.

Ponha ao lume o wok ou uma caçarola de fundo espesso, com um fio de azeite e cozinhe nele, mexendo, as cenouras em rodelas até elas estarem semi-cozidas, o que, dependendo da espessura das rodelas, leva uns 4-5 minutos.
Junte então a cebola em meias-luas, alhos, couve partida miúda, sal (pouco ou nenhum**), pimenta e picante, se quiser.
Sempre com lume forte vá mexendo até estes vegetais perderem o viço e começarem a amolecer, altura em que junta os cogumelos fatiados e a courgette partida.
Quando, daí a 2 ou 3 minutos, sentir que os vegetais estão “al dente” (nada disto é para se comer “bem cozido”), adicione os coentros e molho de soja**,
mexa e, logo de seguida, a massa “noodles”, previamente cozida em água e sal durante 2-4 minutos, conforme as instruções do fabricante e escorrida.
Misture bem
e delicie-se, com garfo ou com pauzinhos.

Notas: * Isto é verdade em relação a quase tudo, mas não em relação a molhos. De facto, os molhos industriais, como maioneses, tártaro, holandês, até carbonara, são indesculpáveis culinariamente e de uma qualidade miserável, mesmo os de marcas conceituadas. Em minha opinião, se não se tem tempo para preparar uma maionese, mais vale servir com azeite e vinagre e se está sem paciência para fazer uma carbonara, deite uma noz de manteiga e queijo ralado sobre a massa e o bacon, toda a gente gosta na mesma e não usa aquela abominação industrial.

** O molho de soja ( que não se enquadra no que acima disse sobre molhos e é impossível fazer em casa) existe em apresentações diferentes e é bom adquiri-lo nas lojas que vendem produtos alimentares orientais (chineses), pois a qualidade destes molhos é muito superior aos feitos no Ocidente. Basicamente, há o tradicional, espesso e escuro (Dark Soy Sauce) e um outro mais suave e claro (Light Soy Sauce), sendo que poderá usar qualquer deles nos seus noodles. Quer um, quer outro são muito salgados pelo que deverá ter isso em atenção, principalmente se utilizar o “light”, que, por se usar em maior quantidade, dispensa o uso de qualquer outro sal na preparação.

Sem comentários: